13/10/2015 - ALERTA

Guardar escovas de dentes em recipientes coletivos traz riscos


 

Na maioria das casas, é quase certo encontrar um único pote sobre a pia do banheiro abrigando as escovas de dentes de todos os membros da família. Prático e aparentemente inofensivo, o costume é um perigo para a saúde. Germes alojados nas cerdas de uma escova podem "migrar" para as vizinhas, aumentando o risco de transmissão de doenças como gripes e outras viroses.

O correto, portanto, é guardar os objetos separadamente. Mesmo recipientes coletivos que possuem várias aberturas — uma para cada escova de dentes, impedindo o contato entre elas — não devem ser utilizados. Isso porque bactérias e vírus não ficam impregnados apenas nas cerdas, mas também suspensos no ar ao redor delas, o que permite a propagação de micro-organismos causadores de doenças.

— Bactérias que vivem em equilíbrio na boca não causam mal, mas, transmitidas à escova de dentes, formam colônias e se tornam potencialmente perigosas — explica a dentista Sandra Duvoisin. — Muitas vezes, sofremos de doenças que nem sabemos como pegamos. A explicação pode estar nesse objeto, que leva para o nosso organismo uma série de germes associados a problemas de saúde.

Segundo a dentista Nathalia Moraes, outro erro comum é deixar os utensílios de limpeza bucal expostos e não abaixar a tampa do vaso sanitário ao dar descarga. Gotículas contaminadas podem atingir até seis metros de altura e permanecer por horas circulando no ambiente, até se depositar numa superfície.

Manter a escova de dentes livre de bactérias, vírus e fungos ajuda a prevenir doenças diversas, incluindo hepatite, gengivite e periodontite. Caso consigam penetrar em vasos capilares e entrar na corrente sanguínea, alguns desses micro-organismos podem chegar ao coração, provocando endocardite bacteriana, uma infecção capaz de matar.

Fonte: Bonde


Compartilhar:  


VEJA TAMBÉM