25/11/2016 - QUEDA DE 3,1%

Planos de saúde perdem 1,5 milhão de usuários em um ano


 

 

Os planos de saúde registraram queda de 3,1% no número de usuários entre setembro de 2015 e setembro de 2016, o que representou a perda de 1,5 milhão de beneficiários no país. O Sudeste foi a região que registrou a maior redução no período, passando de 33,2 milhões para 32,1 milhões de beneficiários. São Paulo foi o estado mais atingido, com a extinção de 549 mil vínculos. Em segundo ficou o Rio de Janeiro, com 319 mil. Os dados fazem parte da nova edição do Boletim da Saúde Suplementar - Indicadores Econômico- financeiros e de beneficiários, lançado hoje (23) pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), durante o 2º Fórum de Saúde Suplementar, no Rio de Janeiro.

Para a presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes, o resultado pode ser explicado pela deterioração do mercado de trabalho e a queda do rendimento das famílias. Os beneficiários desempregados deixam de contar com os planos pagos pelas empresas e, com isso, verifica-se a redução na aquisição de planos empresariais e próprios.

Solange Beatriz destacou que o Sudeste concentra o maior número de beneficiários de planos de saúde com relações de vínculos empregatícios. "Como foi a região que também teve a maior queda, isso reflete diretamente na nossa operação. O produto plano de saúde está diretamente ligado ao emprego e à renda", disse.

Na última edição do levantamento, o Centro-Oeste mantinha o mesmo patamar de usuários em relação ao período anterior, inclusive com pequeno acréscimo. Neste boletim, entretanto, todas as regiões do país apresentaram declínio no número de usuários dos planos de saúde.

Apesar da recessão econômica, o levantamento aponta que o segmento de planos de saúde mostra uma capacidade de resistência, já que a redução do número de beneficiários foi bem menor do que a queda na renda e no emprego, considerando os últimos 12 meses (até setembro de 2016).

 

Preços altos

O presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), José Carlos de Souza Abrahão, disse durante o fórum que beneficiários, provedores, prestadoras e governo precisam trabalhar para garantir a sobrevivência do sistema. "Precisamos agir enquanto ainda dá tempo. Temos que ter o compromisso de implementar mudanças e construir uma agenda positiva para a sobrevivência deste setor", disse.

A presidente da federação reconheceu que os preços elevados dos planos são frequente motivo de crítica por parte dos consumidores, mas acrescentou que isso ocorre porque os custos da medicina e da atenção à saúde são altos tanto para o sistema público, quanto para o privado. "Do valor arrecadado dos beneficiários, via prestação, é que se forma um fundo que a operadora gerencia para que aqueles que precisam utilizar possam se valer dos serviços. Então, não tem mágica: aquele bolo de arrecadação é que vai financiar o custeio. Como o custeio da saúde está caro, os serviços médicos são caros. A inflação medica é três vezes a inflação geral de preços", informou.

Outro fator citado foi a frequência de uso do serviço. "A mensalidade está refletindo custos. Então, os custos devem ser combatidos inclusive com a conscientização do consumidor que deve também questionar o médico para saber se o procedimento é necessário, quanto custa, se não pode ser substituído por outro de igual eficácia", disse.

 

Fonte: Agência Brasil


Compartilhar:  


VEJA TAMBÉM


29/05/2017 - Sisu abre hoje inscrições para o segundo semestre


27/05/2017 - Contas de luz de junho terão bandeira verde, sem acréscimo na tarifa


27/05/2017 - Cerca de 23% das vagas do Fies não foram preenchidas este ano


19/05/2017 - Durante pronunciamento, Temer afirma que não irá renunciar


18/05/2017 - Prazo para inscrição no Enem termina nesta sexta-feira


18/05/2017 - Maconha entra na lista de plantas medicinais


16/05/2017 - Acidente de trânsito é a principal causa da morte de jovens, diz OMS


12/05/2017 - Saque de contas inativas do FGTS começa hoje para nascidos entre junho e agosto


09/05/2017 - Começa sexta saque de contas inativas do FGTS para nascidos entre junho e agosto


08/05/2017 - Em média, trabalha-se 25 dias para comprar um smartphone


04/05/2017 - Dia das Mães deve injetar cerca de R$ 14 bi em comércio e serviços


03/05/2017 - Boleto vencido poderá ser pago em qualquer banco a partir de julho


01/05/2017 - Quem não votou nas últimas eleições tem até amanhã para regularizar situação


28/04/2017 - Trabalhadores de várias categorias param hoje em todo o país


25/04/2017 - País registrou queda no número de celulares e de TV por assinatura, diz Anatel


24/04/2017 - Quem não votou nas últimas eleições deve regularizar situação até 2 de maio


18/04/2017 - Idade mínima para aposentadoria das mulheres deve ser menor, diz relator


13/04/2017 - Previdência: idade na transição pode ser de 50 anos para mulher e 55 para homem


12/04/2017 - Caixa reduz juros do rotativo do cartão de crédito


11/04/2017 - Procon-SP aponta variação de até 106,57% em ovos de Páscoa


11/04/2017 - Inep libera hoje os espelhos da correção do Enem 2016


10/04/2017 - Inep publica edital do Enem; taxa de inscrição será de R$ 82


07/04/2017 - No Dia Mundial da Saúde, OMS alerta sobre depressão


06/04/2017 - Estupro pode se tornar crime imprescritível


20/03/2017 - Com a crise, fiado volta a ganhar força


20/03/2017 - Estudantes podem concorrer a partir de hoje a vagas não preenchidas do Fies


18/03/2017 - Sabor ruim denuncia a carne vencida, que causa enjoo e diarreia


14/03/2017 - Candidatos na lista de espera do ProUni devem comprovar informações até esta terça


11/03/2017 - Número de cesarianas cai pela primeira vez no Brasil


09/03/2017 - Mais de 500 mulheres são agredidas por hora no Brasil, mostra pesquisa