07/08/2017 - INUSITADO

Polícia boliviana prende família que levou mulher doente à funerária para esperar morte


Três parentes são acusados de terem pedido alta de Carmen Chacón do hospital e a levado para seu próprio funeral, onde passou 18 horas viva, inconsciente, mas coberta por uma manta.

 


 Carmen Chacón havia sido hospitalizada com pneumonia agravada por diabetes  (Foto: Reprodução/ Facebook/ Escarly Ticona)
 

O velório de uma mulher boliviana que ainda estava viva levou à prisão de três pessoas, acusadas pela Justiça da Bolívia de tentativa de homicídio e de feminicídio.

Carmen del Pilar Chacón, 64, foi encontrada viva pela polícia na última quarta-feira (2), depois de ter passado cerca de 18 horas sobre uma mesa e coberta por uma manta, rodeada de familiares "de luto".

Segundo a imprensa do país, porém, Chacón havia sido internada com um quadro grave de pneumonia, diabetes, hipertensão e anemia, mas tirada do hospital por três parentes - uma de suas filhas, o marido desta e uma tia dele - enquanto ainda estava inconsciente.

"Os familiares disseram que haviam recebido (do médico) a informação de que (Chacón) morreria e pediram alta voluntária. Evidentemente foram (a funerária) deixá-la esperando a morte", disse na quinta-feira o promotor de La Paz Edwin Blanco ao jornal La Razón.

A polícia afirma que foi uma amiga de Chacón quem percebeu, durante o funeral, que ela ainda estava viva.

"Me aproximei para ver minha amiga e vi que ela estava com vida em uma mesa, coberta por uma manta", disse em seu perfil no Facebook Escarly Ticona.

A uma emissora de TV, Ticona contou ter perguntado à filha de Chacón por que havia levado a mãe à funerária sem que estivesse morta. "Ela me disse que não poderia levá-la para sua casa porque tem uma filha."

O administrador da funerária onde Chacón era velada também foi detido, mas liberado pouco depois por não haver evidências até o momento de que tenha sido cúmplice.

Chacón, porém, não estava sendo velada em uma das salas oficiais da funerária, mas sim em um quarto contíguo do local.

"Tive o horror de admitir (o erro); é a primeira e única vez que isso acontece, não temos nenhum antecedente", disse o administrador à emissora ATB. "(Os parentes) me mostraram um documento mostrando que a senhora tinha uma falência múltipla de órgãos. Me comovi com a família e aceitei ceder a eles um ambiente que não é o funerário."

O caso rapidamente se tornou um dos mais comentados no país, inclusive por autoridades.

"O que está acontecendo com a nossa sociedade? Por acaso perdemos todos os valores humanos? Exigimos uma profunda investigação", afirmou o ministro boliviano de Justiça, Héctor Arce.

Chacón voltou a ser hospitalizada, e seu quadro era grave até sexta-feira.

Em meio à comoção causada pelo caso, os médicos que a haviam tratado inicialmente negaram ter dito a seus parentes que ela estava à beira da morte.

"Em nenhum momento ela foi desenganada nem indicamos que ela tinha poucas horas de vida, mas os parentes consideraram que ela provavelmente não melhoraria e pediram a alta médica de forma voluntária", disse Humberto Ticona, da equipe de terapia intensiva do Instituto Nacional do Tórax de La Paz, ao jornal Página Siete.

 

Fonte: BBC


Compartilhar:  


VEJA TAMBÉM


19/01/2018 - Santa Casa inicia venda de convites para 'Carnaval dos Bons Tempos'


19/01/2018 - Candidatos do Vestibulinho da Etec devem ficar atentos às orientações para prova


19/01/2018 - Polícia Militar homenageia Cb PM Torralbo pela sua excelência profissional


19/01/2018 - WhatsApp lança aplicativo para pequenas empresas


19/01/2018 - Joia olímpica, Barco a Vela é atração do Sesc Verão no Grande Lago


19/01/2018 - Presidente Ian Salomão e vereador Vitor Bini fazem denúncia junto ao Ministério Público Federal


19/01/2018 - Região tem 5 casos de macacos mortos, um é em Paraguaçu


18/01/2018 - Grupo Kombat entrega prêmio para ganhador da promoção 'Furão 2018'


18/01/2018 - Moto vai parar embaixo de carreta bitrem em acidente na entrada de Paraguaçu Paulista


18/01/2018 - Garotos de 15 e 17 anos vão parar na cadeia após serem flagrados com pedras de crack


18/01/2018 - Prova objetiva do Processo Seletivo da Prefeitura de Paraguaçu Paulista acontece neste domingo


17/01/2018 - Grande Lago recebe Circuito Regional de Barco a Vela


17/01/2018 - Prefeita participa de lançamento de programa Internet para Todos


16/01/2018 - Prefeitura realiza Força Tarefa para combater a dengue no município


15/01/2018 - Samu dá dica de como ajudar os profissionais a entrarem em contato com responsáveis pelos feridos


15/01/2018 - Aniversariante é preso após PM encontrar 5 kg de maconha na Barra Funda


15/01/2018 - Motorista morre após perder controle da direção de veículo em Maracaí


15/01/2018 - Prefeita Almira faz esclarecimentos sobre os buracos nas ruas de Paraguaçu Paulista


13/01/2018 - Paraguaçuense é preso com pasta base de cocaína e tijolo de maconha em Martinópolis


13/01/2018 - Lions Clube realiza 'Almoço Solidário' com a participação de mais de 150 convidados


13/01/2018 - Departamento de Educação realiza Projeto Brincar nas Férias de 15 a 26 de janeiro


12/01/2018 - Horas depois de ser dado como morto por três médicos, homem acorda


12/01/2018 - Cinco jovens são presos após cães farejadores encontrarem droga em imóvel na Barra Funda


12/01/2018 - Detran.SP dá dicas para dirigir com segurança durante a chuva


11/01/2018 - Morador do Jardim das Oliveiras faz exames de eletro no próprio bairro e sai com laudo em mãos


11/01/2018 - Dezenas de porções de drogas são apreendidas em residência no 'Mario Covas'


11/01/2018 - Comédia teatral 'Quase Cinquenta Tons de Cinza' se apresenta neste domingo em Paraguaçu


10/01/2018 - Escola 'Maria Ângela' passa a oferecer ensino em tempo integral para alunos do Ensino Médio


10/01/2018 - Prefeita recebe visita do novo comandante do TG


09/01/2018 - Mulher é atropelada por carro próximo aos Correios, em Paraguaçu