07/08/2017 - INUSITADO

Polícia boliviana prende família que levou mulher doente à funerária para esperar morte


Três parentes são acusados de terem pedido alta de Carmen Chacón do hospital e a levado para seu próprio funeral, onde passou 18 horas viva, inconsciente, mas coberta por uma manta.

 


 Carmen Chacón havia sido hospitalizada com pneumonia agravada por diabetes  (Foto: Reprodução/ Facebook/ Escarly Ticona)
 

O velório de uma mulher boliviana que ainda estava viva levou à prisão de três pessoas, acusadas pela Justiça da Bolívia de tentativa de homicídio e de feminicídio.

Carmen del Pilar Chacón, 64, foi encontrada viva pela polícia na última quarta-feira (2), depois de ter passado cerca de 18 horas sobre uma mesa e coberta por uma manta, rodeada de familiares "de luto".

Segundo a imprensa do país, porém, Chacón havia sido internada com um quadro grave de pneumonia, diabetes, hipertensão e anemia, mas tirada do hospital por três parentes - uma de suas filhas, o marido desta e uma tia dele - enquanto ainda estava inconsciente.

"Os familiares disseram que haviam recebido (do médico) a informação de que (Chacón) morreria e pediram alta voluntária. Evidentemente foram (a funerária) deixá-la esperando a morte", disse na quinta-feira o promotor de La Paz Edwin Blanco ao jornal La Razón.

A polícia afirma que foi uma amiga de Chacón quem percebeu, durante o funeral, que ela ainda estava viva.

"Me aproximei para ver minha amiga e vi que ela estava com vida em uma mesa, coberta por uma manta", disse em seu perfil no Facebook Escarly Ticona.

A uma emissora de TV, Ticona contou ter perguntado à filha de Chacón por que havia levado a mãe à funerária sem que estivesse morta. "Ela me disse que não poderia levá-la para sua casa porque tem uma filha."

O administrador da funerária onde Chacón era velada também foi detido, mas liberado pouco depois por não haver evidências até o momento de que tenha sido cúmplice.

Chacón, porém, não estava sendo velada em uma das salas oficiais da funerária, mas sim em um quarto contíguo do local.

"Tive o horror de admitir (o erro); é a primeira e única vez que isso acontece, não temos nenhum antecedente", disse o administrador à emissora ATB. "(Os parentes) me mostraram um documento mostrando que a senhora tinha uma falência múltipla de órgãos. Me comovi com a família e aceitei ceder a eles um ambiente que não é o funerário."

O caso rapidamente se tornou um dos mais comentados no país, inclusive por autoridades.

"O que está acontecendo com a nossa sociedade? Por acaso perdemos todos os valores humanos? Exigimos uma profunda investigação", afirmou o ministro boliviano de Justiça, Héctor Arce.

Chacón voltou a ser hospitalizada, e seu quadro era grave até sexta-feira.

Em meio à comoção causada pelo caso, os médicos que a haviam tratado inicialmente negaram ter dito a seus parentes que ela estava à beira da morte.

"Em nenhum momento ela foi desenganada nem indicamos que ela tinha poucas horas de vida, mas os parentes consideraram que ela provavelmente não melhoraria e pediram a alta médica de forma voluntária", disse Humberto Ticona, da equipe de terapia intensiva do Instituto Nacional do Tórax de La Paz, ao jornal Página Siete.

 

Fonte: BBC


Compartilhar:  


VEJA TAMBÉM


23/10/2017 - Apae promove Show de Prêmios para arrecadar fundos


23/10/2017 - Motorista ultrapassa semáforo vermelho e causa acidente em Paraguaçu Paulista


21/10/2017 - ACE prepara 'Natal Sou Mais Paraguaçu' que sorteará carro 0 km


21/10/2017 - Contas municipais de 2015 são aprovadas em Sessão Extraordinária


20/10/2017 - Prefeitura recebe mais dois veículos para atender melhor a população


20/10/2017 - Cartão alimentação é entregue aos funcionários da Coater


19/10/2017 - Incêndio destrói parcialmente veículo em Paraguaçu Paulista


19/10/2017 - Faculdades Gammon estão com inscrições abertas para o Vestibular 2018


19/10/2017 - Sindicato Rural Patronal e Agroterenas S.A abrem inscrições para cursos gratuitos


18/10/2017 - Equipe Paraguaçu Runners se prepara para participar da Ultra Maratona Maresias Bertioga


18/10/2017 - Associação Paraguaçuense de Combate ao Câncer lança Calendário Outubro Rosa 2018


18/10/2017 - 20ª Semana de Engenharia Agronômica tem início nas Faculdades Gammon


18/10/2017 - Câmara realiza audiência para discussão do orçamento municipal


18/10/2017 - Prefeita de Paraguaçu recepciona Alckmin em Lutécia e faz reivindicações para o município


17/10/2017 - Associação Paraguaçuense de Combate ao Câncer: mais de 20 anos de serviços prestados à população


17/10/2017 - Presidente Ian Salomão conquista verba de quase 110 mil para saúde


17/10/2017 - Adolescentes de 15 e 17 anos vão para a cadeia após serem flagrados com droga e dinheiro


17/10/2017 - Oficina Luz Ambiente e Ambiente de Luz do Pontos MIS está com inscrições abertas


17/10/2017 - Câmara aprova em 1º turno nova regra para a instalação de postos no município


17/10/2017 - Vereador João Rio, falecido em 2014, será reconhecido na Câmara


16/10/2017 - 20ª Semana de Engenharia Agronômica inicia nesta segunda-feira nas Faculdades Gammon


16/10/2017 - Cerca de 130 pessoas participam de prova para aquisição de habilitação para uso de motos aquáticas


16/10/2017 - Maestro paraguaçuense marca presença na Feira do Livro de Rio do Sul


16/10/2017 - Ladrão invade imóvel e acaba preso pela PM


16/10/2017 - Em menos de 24 horas, dois postos de combustíveis são assaltados em Assis


14/10/2017 - Comunidade católica de Paraguaçu celebra as festividades de Nossa Senhora Aparecida


14/10/2017 - PM apreende estufa para cultivo de maconha em Paraguaçu Paulista


13/10/2017 - Crianças do 'Espaço Amigo' participam de dia de fotografia


13/10/2017 - Homem e enteado vão para a cadeia após PM encontrar drogas em residência


13/10/2017 - Sesi abre inscrições para vagas de novos alunos para início em 2018