Pintor sofre descarga elétrica de 13 mil volts e pega fogo, mas sobrevive

Publicidade - OTZAds

Salvador Luís da Gama, 57, sofreu queimaduras de 1º e 2º graus no tórax, braços e pernas

 


 SUSTO - Pintor foi imobilizado pelos Bombeiros e encaminhado ao Hospital das Clínicas com diversos ferimentos - Ricardo Prado


O pintor Salvador Luís da Gama, 57, sofreu uma descarga elétrica de 13 mil volts enquanto executava um serviço na cobertura de um imóvel localizado na região central de Marília, no entanto sobreviveu com ferimentos considerados leves.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o incidente aconteceu por volta das 14h30 em prédio comercial localizado na Avenida Santo Antônio, próximo ao cruzamento com a rua Coronel Galdino de Almeida. O imóvel passa por obras e Salvador fazia parte do quadro de funcionários que atuava no local.

“Estava usando um rolo para pintar o telhado quando sem querer encostei o cabo na fiação. Apaguei na hora. Acordei em seguida com minhas roupas pegando fogo e sem forças nos braços, mas meu filho, que trabalha comigo, me socorreu”, relatou Salvador enquanto era encaminhado a uma viatura do Resgate.

Apesar do atendimento rápido, o violento choque causou queimaduras de 1º e 2º graus no tórax e membros do pintor. Ele estava consciente na chegada dos Bombeiros, mas foi imobilizado em uma maca e descido de rapel de uma altura de seis metros. Em seguida, foi encaminhado ao Hospital das Clínicas.

“Por sorte, a descarga foi superficial, mas ele caiu quando levou o choque e também se queixava de muitas dores nos braços, o que indica que a corrente elétrica atravessou seu corpo”, afirmou o tenente Rafael Gustavo Aguiar. “Decidimos imobilizá-lo para evitar um agravo nas suas lesões e fizemos o esquema de tobogã para descê-lo do alto do imóvel”, completou o oficial.

Esse é o segundo caso parecido registrado no ano na cidade. No dia 6 de junho, o também pintor José Marcelino Paes, 31, sofreu queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus após sofrer uma descarga elétrica da mesma voltagem que Salvador. 

José estava na cobertura de um prédio na rua Campos Salles e utilizava um rolo com cabo de metal para pintar a fachada do imóvel quando encostou a ferramenta em um fio de alta tensão.  A corrente elétrica seguiu pelo cabo do rolo e chegou às mãos do pintor, que foi arremessado para trás. O choque foi tão intenso que o corpo de José se incendiou quase que instantaneamente.

Ele foi socorrido em estado grave, teve 60% do corpo atingido pelas chamas, mas também sobreviveu.

 

 

diariodemarilia.com.br


i7 Notícias i7 Notícias