Homem é executado na frente dos filhos em Marília



O auxiliar geral Sidney Fernando dos Santos de Souza, 28, foi executado na tarde de ontem dentro de sua própria casa, no Santa Antonieta, zona norte. Foram pelo menos cinco tiros, um deles atingindo o rosto. Seus filhos, de 2 e 5 anos, estavam próximos quando ele foi atacado por um homem ainda não identificado. A causa do 1º homicídio do ano também é desconhecida.

Por volta das 14h, Sidney estava em sua residência, na rua Bento de Abreu Filho, quando uma moto com dois ocupantes parou em frente ao imóvel. Em seguida, o garupa saltou e, com a arma em punho, invadiu o local, surpreendendo a vítima com vários disparos. Um deles acertou o queixo e se alojou na mandíbula.

“Estava lavando a cozinha quando ouvi os tiros. Saí correndo e o Sidney vindo em minha direção, gritando para eu pegar nossos filhos e fugir. Foi o que tentei fazer, mas ele caiu já quase morto na frente das crianças”, conta a amásia da vítima, Fernanda Cristina Santos de Oliveira, 22. Eles mantinham um relacionamento há sete anos.

Após o crime, o assassino voltou para a moto onde seu comparsa o aguardava e ambos fugiram. A Polícia Militar foi acionada e acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), porém Sidney morreu no local.

Em depoimento, Fernanda disse que o atirador é magro, com cerca de 1,70 metro e que vestia uma camiseta listrada em preto e branco. Além disso, o criminoso estava com um capacete preto todo fechado, o que impossibilitou algum provável reconhecimento através de fotos.

PM fez operação para achar assassino
Logo após ser notificada do crime, a Polícia Militar tentou impedir a fuga do atirador e seu comparsa. Para isso, foi montada uma operação de bloqueio nas vias que dão acesso ao Jardim Santa Antonieta.

“Apesar disso, não tivemos êxito em localizar os autores deste homicídio. A vítima tinha passagens na polícia por roubo e tráfico”, disse o tenente Adriano Ratti, que também disse desconhecer a motivação do crime.

O delegado adjunto da DIG (Delegacia de Investigações Gerais), Mario Furlanetto, esteve no local, no entanto se negou a dar declarações. A delegacia especializada instaurou inquérito pra investigar o crime.

Fernanda disse desconhecer o que pode ter levado ao assassinato do marido. Segundo ela, Sidney jamais teve envolvimentos com drogas nem com crimes.

“Ele era um bom pai e não sei porque alguém iria querer matá-lo. O Sidney não tinha inimigos, sempre se deu bem com todos e nunca se envolveu com coisas e pessoas erradas. Não consigo acreditar que isto tenha acontecido”, desabafou.

 

MATAHARI


i7 Notícias i7 Notícias