Mensagem mostra professor negociando atos sexuais da filha em troca de dinheiro, em Assis

Homem de 33 anos foi preso durante operação contra pornografia infantil e estupro de vulnerável em Assis (SP). TV TEM teve acesso a parte das conversas de suspeito pelo WhatsApp.


Homem de 33 anos foi preso durante operação contra pornografia infantil e estupro de vulnerável em Assis (SP). TV TEM teve acesso a parte das conversas de suspeito pelo WhatsApp.

 


Mensagem mostra a negociação do suspeito que oferece a filha para atos sexuais em troca de dinheiro - Foto: Arquivo pessoal

 

A TV TEM teve acesso a parte das conversas nas quais professor preso durante operação de combate à pornografia infantil e estupro de vulnerável oferece a filha para atos sexuais em troca de dinheiro. Os diálogos estavam no celular do suspeito que foi apreendido durante a operação deflagrada nesta terça-feira (10).

Na troca de mensagens por WhatsApp, o professor, que segundo investigações se passava por mulher em redes de relacionamento, fala que precisa de ajuda financeira para cuidar da filha que teria 6 anos e em troca desse valor ele a menina poderiam “dar carinhos”.

“Quero alguém que me ajude com a grana para cuidar da minha filha. E em troca eu e ela podemos dar carinhos. Entende? Em sigilo”, diz a mensagem.

Segundo a delegada responsável pela operação, em depoimento, o suspeito confessou a autoria das mensagens e disse que oferecia a filha porque era uma fantasia sexual que tinha. No entanto, nenhum ato teria se concretizado e tudo isso será investigado.

“As investigações vão prosseguir até para apurar o crime de estupro de vulnerável dessa filha ou de outras crianças”, destaca a delegada Adriana Pavarina, da Delegacia de Defesa da Mulher.

O suspeito foi identificado após denúncia, segundo a polícia. A linha telefônica dele estava cadastrada com dados falsos de outra professora. Ele foi preso em um hotel em Assis e com o suspeito foram apreendidos celulares e dois computadores.

 


Professor foi preso na manhã desta terça-feira (10) em Assis - Foto: TV TEM/Reprodução
 

A polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão no endereço do professor em Marília e na Secretaria Municipal de Educação, onde ele exerce um cargo administrativo. Ainda segundo a polícia, ele é professor da rede estadual de ensino.

Em nota, a prefeitura de Assis informou, por meio da Secretaria Municipal de Educação, que o servidor da pasta ocupa cargo administrativo na sede da secretaria. Disse ainda que a prefeitura vai colaborar com as investigações e que a acusação contra ele ocorre fora do serviço público.

Já a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Diretoria Regional de Ensino, afirma em nota que uma apuração preliminar foi aberta, e se comprovada, serão aplicadas as penalidades pertinentes.

A diretoria afirma estar à disposição dos pais e responsáveis pelos alunos para quaisquer esclarecimentos e que irá colaborar com as investigações policiais.

 


Policiais cumprem mandados de busca e apreensão domiciliar nas cidades de Assis e Marília - Foto: TV TEM/Reprodução
 

“As investigações vão prosseguir até para apurar o crime de estupro de vulnerável dessa filha ou de outras crianças e se essas fotos e vídeos enviados são de crianças que fazem parte do círculo social ou profissional desse suspeito”, completa a delegada.

O homem foi levado para uma cela na Central de Polícia Judiciária de Assis e deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (10).

Em nota, a prefeitura de Assis informou, por meio da Secretaria Municipal de Educação, que o servidor da pasta ocupa cargo administrativo na sede da secretaria. Disse ainda que a prefeitura vai colaborar com as investigações e que a acusação contra ele ocorre fora do serviço público.

Já a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Diretoria Regional de Ensino, afirma em nota que uma apuração preliminar foi aberta, e se comprovada, serão aplicadas as penalidades pertinentes.

A diretoria afirma estar à disposição dos pais e responsáveis pelos alunos para quaisquer esclarecimentos e que irá colaborar com as investigações policiais.

 

DROGARIAS POUPAQUI