Ex-prefeito, Carlos Azoia pretende retornar ao Executivo de Paraguaçu Paulista; confira a entrevista

Carlos Pereira Azoia foi prefeito de Paraguaçu Paulista no período de 1993 a 1996.



Carlos Azoia é pré-candidato a prefeito de Paraguaçu Paulista

Aos 71 anos de idade, Carlos Azoia (MDB) vai tentar novamente o cargo de prefeito de Paraguaçu Paulista. Ele já ocupou o cargo no período de 1993-1996. Aposentado, ele cursou até o 4º ano do Ensino Fundamental e se consolidou no município como empresário. Viúvo, ele tem oito filhos: Cláudio, Carlos, Ivan, Ana Cláudia, Vitor, Kituli, Eduardo e Luan.

O pré-candidato a prefeito de Paraguaçu Paulista concedeu entrevista ao i7Notícias. Confira:

I7Notícias: O que te motiva sair candidato a prefeito em Paraguaçu Paulista?

Carlos Azoia: Por ser conhecido no comércio de Paraguaçu Paulista desde 1972, quando abrimos a madeireira, no final da Avenida Siqueira Campos. Fizemos um trabalho bom em nossa cidade e região como comerciante, muito conhecido, e depois como prefeito, que fui de 1993 a 1996.

I7Notícias: Quais as obras mais urgentes para a cidade de Paraguaçu Paulista?

Carlos Azoia: Urgente não tem. Teríamos se não fosse feito o último recapeamento, que nós estávamos em estado de calamidade, que não tinha como andar na nossa cidade, mas isso já foi resolvido, ainda tem algumas coisas para serem feitas. 

I7Notícias: Como você avalia a administração da prefeita Almira Garms?

Carlos Azoia: Eu avalio como boa. Gostei do trabalho dela. Ela recapeou a cidade inteira, é uma tarefa dificílima, só quem passou lá sabe a dificuldade que tem. Embora, tenha ficado uma dívida, mas concluiu a obra e ela para mim é uma boa pessoa. Ela tem um lado negativo, que o jeito dela que acaba dificultando. O pessoal não gosta muito por causa da antipatia dela. Ela não tem as portas abertas da prefeitura para a comunidade.

I7Notícias: Quais áreas que o senhor deve dar prioridade no seu plano de governo?

Carlos Azoia: Em 1996, no nosso último dia de governo, foi concluída a lei de Paraguaçu Paulista como estância turística, e isso está adormecido até hoje. É um setor que precisaria ser avaliado, melhor estudado. Sem falar da zona rural, que não foi tão abandonada, mas está deixando a desejar. Têm muitas coisas para serem feitas. A parte social também é importante. Às vezes, as pessoas não dão importância porque não aparece, mas a parte social é muito interessante, que é correr atrás para os mais necessitados.

I7Notícias: O que o eleitor de Paraguaçu Paulista pode esperar do senhor se for eleito?

Carlos Azoia: Nós atendermos melhor a prefeitura. Os que são mais velhos lembram que a prefeitura, na minha época, era aberta a porta do gabinete, era aberta para todo mundo, para todo mundo ir lá. Falávamos abertamente com o nosso povo. Essa era a parte mais interessante da nossa gestão, e queremos continuar se formos eleitos.

I7Notícias:  Você já definiu o seu vice-prefeito ou ainda está estudando possíveis nomes?

Carlos Azoia: Nós ainda vamos ter uma prévia com todos os candidatos, onde vamos fazer um estudo de ver as possibilidades.

I7Notícias: O que o leva a acreditar que poderá vencer as eleições deste ano?

Carlos Azoia: Não é fácil. A tarefa é difícil. Todos têm a chance, são todas pessoas boas. Se forem eleitos, também serão bons, mas isso não é uma decisão que cabe a nós, cabe ao eleitor, que tem o trabalho de pesquisar.

I7Notícias: Estamos passando por um problema muito delicado que é o Coronavírus. As medidas executadas pela atual administração estão de acordo em sua opinião? Caso não estejam, o que faria de diferente?

Carlos Azoia: Esta é uma situação muito complicada que cabe aos médicos, que não cabe mais para nós. O governador publica a lei e o prefeito tem que obedecer. Alguns não obedeceram, fizeram mandado de segurança. A gente vê muito nas redes sociais as pessoas gostando que tenha aberto o comércio, aí outra metade fala que a prefeita é louca. Então não dá para dar palpite. Na minha opinião, não é porque sou Bolsonaro, ele não estava errado, é manter a distância, usar máscara, passar álcool em gel e não precisa fechar nada, estaria todo mundo trabalhando. Essa é a minha opinião. 

I7Notícias: Deixe uma mensagem ao leitor do i7Notícias?

Carlos Azoia: Se formos eleitos, estaremos lá de portas abertas, vamos atender todo mundo. Quem já me conhece, do outro mandato, sabe o meu jeito é simples, sempre estou no meio do povo, e isso não vai ser diferente. Vamos estar lá sempre, batendo papo, conversando, trocando ideias. Na nossa época, a prefeitura fazia muita reunião em bairros, onde recebíamos todo mundo.
 

DROGARIAS POUPAQUI


i7 Notícias i7 Notícias