Estado anuncia 25 novos leitos de UTI para região de Marília

A atual situação gerou o rebaixamento da região para a fase vermelha do Plano SP nesta sexta-feira (15).



UTI do Hospital São Lucas, em Garça, é uma das instituições que podem ter incremento (Foto: Hospital São Lucas/Divulgação)

Como resposta à elevada taxa de ocupação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na região de Marília, o Governo do Estado anunciou que irá instalar 25 novas vagas em hospitais da área administrativa. A atual situação gerou o rebaixamento da região para a fase vermelha do Plano SP nesta sexta-feira (15).

As cidades beneficiadas ainda não foram definidas e há risco do município de Marília não ser contemplado, o que continuaria exigindo transferências caso moradores locais tenham a necessidade de leitos intensivos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Conforme apurou o Marília Notícia, o Hospital Regional de Assis deve instalar dez leitos de UTI, com previsão para início de funcionamento já nos próximos dias. A instituição administrada pelo Estado também terá 20 leitos de enfermaria.

Já os outros 15 leitos intensivos poderão ser distribuídos entre hospitais filantrópicos da região. Há negociações em andamento com as Santas Casas de Ourinhos e Paraguaçu Paulista.

O Hospital São Lucas, em Garça, que recebeu incremento de seis leitos de terapia intensiva na semana passada, também poderá participar do novo aumento de vagas.

Marília, maior município da região, tem instalados pelo SUS, 56 leitos de UTI específicos para Covid-19. No final da tarde de ontem todos estavam ocupados.

Apesar da tendência da cidade não receber mais leitos, autoridades da Saúde ainda dialogam com instituições locais, o que pode mudar a situação.

Questionada sobre a estrutura existente no Hospital Beneficente Unimar (HBU), a superintende da instituição, Márcia Mesquita Serva, disse que ainda há uma ala inteira com dez leitos que poderiam servir o SUS de forma emergencial.

Trata-se da UTI do novo hospital oncológico, finalizado recentemente, mas ainda pendente de credenciamento.

“Embora estejamos enfrentando muitas dificuldades com relação a contratação de pessoal, o que é uma realidade de todas as instituições de saúde, seguimos dispostos a ajudar. Ainda temos uma ala disponível, o que dependeria de um credenciamento pelo SUS”, disse a gestora.

O Hospital das Clínicas, que já oferta 26 leitos intensivos específicos, informou em nota que, “no atual momento não dispõe de equipamentos e recursos humanos necessários para abertura de mais leitos de UTI Covid”.

A mesma situação acontece na Santa Casa de Marília, que além dos dez leitos intensivos SUS Covid, tem mais oito para convênios e particulares. Além disso, o hospital segue com atendimento nas unidades de Alta Complexidade para as demais doenças.

Visão de rede

Embora a ocupação de 100% deixe no munícipe de Marília a sensação de colapso, para o Estado a visão é regional.

Segundo nota da Secretaria de Estado da Saúde, a taxa de ocupação de UTI da região é 83,2% e de enfermaria de 47,7%, “portanto, a rede segue com plena capacidade de assistir pacientes”.
 


i7 Notícias i7 Notícias