Sem vaga no SUS, família faz campanha para pagar internação de paraguaçuense em hospital particular

O paraguaçuense Luis Antonio de Souza, de 62 anos, não tem convênio e está internado desde sábado (3) em um hospital particular de Sorocaba (SP), com sintomas de Covid-19.



Família de Luis Antônio criou uma campanha no site Vakinha para arrecadar dinheiro para custear o pagamento das diárias na UTI

Com a falta de vagas na rede pública de saúde, a família de um paraguaçuense de 62 anos decidiu fazer uma campanha para pagar a internação dele em um hospital particular de Sorocaba (SP), local onde ele reside atualmente.

Segundo a filha mais nova do pedreiro Luis Antônio de Souza, Mayara Oliveira de Souza, o pai não tem convênio médico e começou a se sentir mal de um dia para o outro, após a filha mais velha testar positivo para o coronavírus.

A princípio, Luis teve sintomas leves e, na última semana do mês de março, foi ao Pronto Atendimento, onde realizou o exame, cujo resultado ainda não saiu. O pedreiro passou a tomar medicamentos e a fazer o isolamento, mas acabou piorando.

No último sábado (3), o homem foi levado a um hospital particular da cidade, pois a família acreditou que o atendimento seria mais rápido no local. De acordo com Mayara, eles estavam dispostos a pagar pela internação, mas não imaginavam que Luis ficaria tanto tempo no hospital, nem que o valor seria exorbitante.

Conforme a filha, ao chegar ao hospital, ele foi atendido na enfermaria, embora precisasse de UTI. Mayara ainda diz que Luis não conseguia tirar o tubo de oxigênio nem para beber água, pois os aparelhos apitavam.

"Os médicos informaram que ele precisava de um leito na UTI, mas, para ser encaminhado, era necessário um valor de caução", explica Mayara.

No entanto, após uma piora no quadro, Luis foi encaminhado para intubação na UTI, mesmo sem a caução.

"Os médicos levaram para a UTI, porque ele poderia morrer a qualquer momento. Agora temos que arrumar o dinheiro para que ele tenha todo o atendimento. A cada dia na UTI, o valor é de R$ 7 mil", comenta.

Foi então que a família de Luis criou uma campanha nas redes sociais para arrecadar o dinheiro necessário e pagar a internação dele no hospital.

Muitas pessoas compartilharam o post e têm ajudado a família. Mayara conta que chegaram contribuições até de pessoas que eles não conhecem, porém, o valor necessário para o tratamento de Luis ainda é muito alto e a família continua pedindo ajuda.

"Parece que estamos vivendo um pesadelo. Ver alguém que amamos tanto precisar de um aparelho para respirar é horrível. Toda ajuda é bem-vinda", completa a filha.

Quem puder colaborar, pode acessar o site Vakinha e fazer a sua contribuição. Até o início desta quarta-feira, dia 07, a família já arrecadou R$ 12.625,00 pelo site. A meta é de R$ 50 mil.


Família de Luis Antônio criou uma campanha no site Vakinha para arrecadar dinheiro para custear o pagamento das diárias na UTI


i7 Notícias i7 Notícias