Associação constata dano ambiental em trecho de estrada de ferro em Paraguaçu

Um dos objetivos da Associação é preservar o acervo ferroviário que originou o município de Paraguaçu Paulista



Materiais nocivos à natureza encontrados em um trecho da linha férrea

A Associação de Preservação do Patrimônio Ferroviário e Turismo Moita Bonita, durante monitoramento do acervo ferroviário, constatou um dano ambiental, de nível médio, em um trecho da estrada de ferro que liga Paraguaçu Paulista ao distrito de Cardoso de Almeida. 

Nos anos 90, ocorreu uma erosão no leito ferroviário devido a fortes chuvas; assim, providenciou- se um aterro no local com vários materiais nocivos à época, por naquele momento não ter cuidados ao meio ambiente como têm hoje. Foram utilizados: tijolos, vidros, metais, borrachas, enxofre (utilizado como expurgo) e amianto (lona freio das locomotivas), bem como baterias descartadas dos vagões, poluindo o solo e riacho abaixo.  

Após contato com o proprietário das terras no local abaixo deste aterro, a Associação acionou o Ministério Público em novembro de 2020, após  várias tentativas com outros órgãos. A partir dessa denúncia, o MP designou que os responsáveis pelo trecho, Prefeitura e empresa Rumo, sanassem os problemas. Acionada, a Rumo tomou as providências, contratando uma empresa de análise ambiental para monitorar o local. A Associação acompanhou a medição do solo, faltando ainda a análise da água e demais materiais descartados no local.

A Associação também realizou denúncia de furto de material ferroviário, ocorrido neste mesmo trecho. 

Associação de Preservação do Patrimônio Ferroviário e Turismo Moita Bonita tem como objetivo preservar, difundir e educar as futuras gerações quanto ao acervo ferroviário que originou o município de Paraguaçu Paulista. E além disso, incentivar o turismo regional.


Após denúncia no MP, a empresa Rumo contratou uma empresa de análise ambiental para monitorar o local 

DROGARIAS POUPAQUI


i7 Notícias i7 Notícias