Padre da região tem dispensa confirmada pelo Vaticano após suspeita de assédio

Acusação aconteceu em 2017 e o agora ex-padre, autor do pedido da própria dispensa, disse que já está fora da Igreja há três anos.



O agora ex-padre Manoel Carlos Nery de Souza em sessão solene na Câmara de Marília, em 2016 - Foto: Diocese de Marília/Arquivo

A Diocese de Marília (SP) anunciou no último fim de semana a dispensa de um padre que foi acusado de assédio, em 2017, na cidade de Herculândia (SP).

O pedido de dispensa do celibato e das obrigações religiosas foi feito pelo próprio padre Manoel Carlos Nery de Souza, sendo atendido em decisão do Vaticano. Segundo a diocese, desde a época do caso o padre estava afastado.

Com a dispensa, autorizada pelo Papa Francisco e comunicada para o agora ex-padre Manoel na última terça-feira (28), ele "perde automaticamente os direitos próprios do estado clerical e tudo quanto é inerente a esse, inclusive as relativas obrigações".

Procurado pela reportagem da TV TEM, o ex-padre confirmou que a dispensa foi um pedido seu e que já está há três anos trabalhando em outra função, fora da Igreja. Manoel Carlos Nery de Souza disse que não pretende se manifestar sobre o caso. 
 


i7 Notícias i7 Notícias