Helicóptero que caiu na Fronteira estava carregado com 246 quilos de cocaína

As duas pessoas que estavam na aeronave morreram carbonizadas



Foram identificados como Matheus Henrique dos Santos Venâncio, de 20 anos e Pedro Augusto Boim de 24 anos, moradores no interior paulista

 

O Departamento de Repressão a Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (DRACCO) está investigando a queda do helicóptero R66 identificado como sendo de prefixo PR-ITT, na manhã desta quarta-feira (20), em uma fazenda localizada em Ponta Porã. 

A queda e consequente incêndio da aeronave levou duas pessoas a óbito. O veículo estava carregado com grande quantidade de substância análoga à cocaína. Conforme a Polícia Civil, levantamentos iniciais foram realizados durante todo o dia por equipe do DRACCO com apoio da 1ª DP de Ponta Porã e Seção de Investigações Gerais de Fátima do Sul.

Foram apreendidos no local 246 quilos de cocaína, providenciando-se a remoção dos destroços da aeronave do local, agora apreendidos junto ao DRACCO. Os corpos foram encaminhados para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Ponta Porã com suas possíveis qualificações. Exames periciais e papiloscópicos foram requisitados para confirmação da identificação oficial visto que acabaram carbonizados em meio aos destroços da aeronave.

Caso 

O helicóptero carregado com cocaína caiu no fim da manhã desta quarta-feira (20) entre Dourados e Ponta Porã explodindo.  As duas pessoas que estavam na aeronave morreram carbonizadas.

Foram identificados como Matheus Henrique dos Santos Venâncio, de 20 anos e Pedro Augusto Boim de 24 anos, moradores no interior paulista, as duas vítimas fatais do acidente com helicóptero Robinson R66 Turbine prefixo PR ITT que caiu nesta quarta-feira (20), em uma fazenda entre Ponta Porã e Dourados. Pedro Augusto seria o piloto da aeronave.

Os corpos foram identificados nesta manhã pelas mães deles no Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Porã que reconheceram os filhos principalmente pelas tatuagens.

O helicóptero consta no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) em nome de uma empresa imobiliária sediada em Taubaté no interior paulista. E estava em plenas condições de voo no que diz respeito a registros e licenças.



Foram apreendidos no local 246 quilos de cocaína

i7 Notícias i7 Notícias