Não há como evitar tumores na próstata; a diferença é se antecipar, diz o doutor Rogério Funabashi

A diferença está em se antecipar. Procure seu médico. Volte a cuidar da sua saúde em quanto é tempo, orienta o urologista, doutor Rogério Funabashi



A diferença está em se antecipar. Procure seu médico. Volte a cuidar da sua saúde em quanto é tempo, 
orienta o urologista, doutor Rogério Funabashi

O Brasil tem 65 mil casos de diagnóstico de câncer de próstata por ano e este é o segundo câncer mais frequentes entre os homens. 

Para que o enfrentamento à doença seja cada vez maior, a campanha Novembro Azul 2021 alerta para a importância dos exames, da prevenção e do tratamento, quando o câncer de próstata é diagnosticado. 

Segundo o médico urologista de Paraguaçu Paulista, José Rogério Funabashi, pioneiro no atendimento da especialidade na rede municipal de Saúde do município desde 1998, há fatores de risco bem característicos e definidos, que não são possíveis mudar, como o histórico familiar, por exemplo. Por outro lado, há hábitos de vida que são formas de prevenção, como a alimentação, higiene, exercício físico e, principalmente, o diagnóstico precoce.

Confira a entrevista com o médico urologista, doutor José Rogério Funabashi.

i7 Notícias - Doutor, instituições de pesquisas como o INCA, o Hospital AC Camargo Câncer Center e o Hospital das Clínicas da UNICAMP, apresentaram dados de que a pandemia gerou uma redução média, e grave, de 26% no número de novos casos, englobando os tumores de rim, próstata e bexiga, na comparação com diagnósticos feitos nos anos de 2019 e 2020. Qual sua avaliação a recomendação a este respeito, principalmente com relação ao tumor de próstata, já que estamos no mês que trata da prevenção a esta doença?

Dr. Rogério Funabashi – A situação é muito preocupante, pois muitos diagnósticos e tratamentos de câncer de próstata não foram realizados conforme dados da Sociedade Brasileira de Urologia:

“Após quase dois anos de pandemia, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) alerta no Novembro Azul para os impactos à saúde masculina neste período, sobretudo o diagnóstico e tratamento do câncer de próstata. Dados inéditos do Ministério da Saúde, obtidos a pedido da SBU, revelam que houve uma redução de 21,5% das cirurgias para retirada da próstata por câncer na comparação entre 2019 e 2020.

A coleta de PSA e de biópsia da próstata, que junto com o exame de toque retal diagnosticam a doença, tiveram quedas na ordem de 27% e 21%, respectivamente. O número de consultas urológicas no SUS também caiu 33,5%. E as internações de pacientes com o diagnóstico da doença teve queda de 15,7%.

As consultas com um urologista em 2021 continuam baixas. Até julho, foram realizadas 1.812.982 consultas. Em 2019, foram 4.232.293 e em 2020, 2.816.326.

Em alguns estados a queda do exame de biópsia da próstata entre 2019 e 2020 foi bastante representativa: Acre (90%), Mato Grosso (69%) e Rio Grande do Norte (50%). Rio de Janeiro teve um declínio de 39% e Minas Gerais 31%. São Paulo e Distrito Federal tiveram baixo impacto, na ordem de 6% e 7%, respectivamente. Já em relação ao exame de PSA, Paraíba teve uma queda de 50%, Pernambuco, 37%, Distrito Federal, 34%, Rio de Janeiro, 30% e São Paulo, 29%.

O câncer de próstata é o tumor mais frequente no homem, excluindo-se o câncer de pele não melanoma. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são esperados 65.840 novos casos para 2021, porém muitos podem nem ter sido diagnosticados. Dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), também obtidos pela SBU, mostram que a mortalidade por câncer de próstata aumentou cerca de 10% em cinco anos, subindo de 14.542 (2015) para 16.033 (2019).

Por esse motivo, o Novembro Azul, campanha anual da SBU de conscientização do câncer de próstata, este ano enfatiza a importância de o homem retomar seu cuidado com a saúde e voltar a ir ao médico. O diagnóstico precoce do câncer de próstata é fundamental para uma maior chance de cura.”

Apesar do Novembro Azul, é importante ressaltar, que os exames de prevenção do câncer da próstata devem e podem ser realizados o ano inteiro. Portanto, a recomendação é consultar seu urologista pelo menos uma vez ao ano.

i7 Notícias - No seu dia a dia, o senhor percebe este tipo de redução na procura por tratamento e prevenção? Em Paraguaçu Paulista, há dados disponíveis a este respeito?

Dr. Rogério Funabashi - Houve discreta redução, porém, atualmente percebe-se a retomada dos exames preventivos do câncer de próstata. Provavelmente em Paraguaçu existe estes dados.

i7 Notícias - Estatisticamente, conforme dados do INCA, em 2021, 28% dos homens com a doença vão morrer e 20% dos pacientes, com a doença, são diagnosticados tardiamente. Como reverter estes números?

Dr. Rogério Funabashi - É uma estatística alarmante.

A única maneira de tentar reverter, é realizar o diagnóstico precoce. Para isto é essencial os homens se conscientizarem da necessidade de consultar um urologista para o toque retal mais o PSA (antígeno prostático especifico), principalmente os que possuem fatores de riscos como:

1. Idade, quanto maior a idade, maior o risco de câncer de próstata.

2. História familiar (hereditário), ter um parente de primeiro grau com diagnóstico de câncer de próstata mais do que duplica o risco de um homem de desenvolver a doença 

3. Raça negra

4. Obesidade

5. Hábitos alimentares, evitando gordura saturada e dietas ricas em carnes vermelhas, pois sabe-se que o aumento do consumo de gordura, aumenta a incidência de câncer de próstata

i7 Notícias - Para finalizar, também de acordo com o INCA, se é possível 90% de cura se diagnosticado precocemente, quais as orientações o senhor deixa para os homens como forma de prevenção neste Novembro Azul 2021?

Dr. Rogério Funabashi - Até o momento não há como evitar tumores na próstata! A DIFERENÇA ESTÁ EM SE ANTECIPAR: Procure seu médico. Volte a cuidar da sua saúde em quanto é tempo. Faça os EXAMES PERIÓDICOS PARA DETECÇÃO PRECOCE os:

1. Homens sem antecedentes familiares - 50 anos

2. Homens com fatores de risco - 45 anos com:

• Antecedentes familiares de câncer de próstata

• Raça negra

• Obesidade
Fonte: Sociedade Brasileira de Urologia

Estatísticas
O INCA – Instituto Nacional de Câncer –, vinculado ao Ministério da Saúde, estima 65.840 novos casos de câncer de próstata para 2021, porém muitos sequer foram diagnosticados por conta da pandemia da Covid-19.

De acordo com os dados do INCA, existem dados subnotificados no Brasil e a projeção é que se tenham mais casos não diagnosticados. 

De modo geral, a análise estatística no diagnóstico de novos casos de câncer de próstata mostrou uma redução média de 33% entre todas as instituições apuradas.

Outros dados do Instituto revelam que:

- A cada 7 minutos no Brasil, um diagnóstico do câncer de próstata é descoberto;

- Há um óbito a cada 40 minutos pela doença;

- A cada 8 homens, 1 terá câncer de próstata;

- 28% dos homens com a doença vão morrer e 20% dos pacientes, com a doença, são diagnosticados tardiamente;

- 90% de cura se diagnosticado precocemente;

- O câncer de próstata não dá sinais infelizmente, e quando começa a apresentar, já é tarde demais e o tratamento costuma ser paliativo nesses casos.


i7 Notícias i7 Notícias