Casa é furtada em plena luz do dia em Paraguaçu

Pela porta da frente e uma grande quantidade de objetos foi furtada, o que leva a acreditar que os ladrões estavam utilizando veículo de porte maior como um caminhão.



Pela porta da frente e uma grande quantidade de objetos foi furtada, 
o que leva a acreditar que os ladrões estavam utilizando 
veículo de porte maior como um caminhão

“O recado que eu dou hoje é: se você perceber alguma movimentação estranha na casa do seu vizinho, pessoas tirando as coisas, sem que você soubesse que o seu vizinho está mudando, liga e avisa. Aqui em casa, o furto foi de dia e ainda pela porta da frente. É o que está acontecendo aqui em Paraguaçu, muitos furtos de casa estão acontecendo assim, levam quase tudo, quase fazem a mudança”.

O desabafo é de Meg Molina de Souza, cuja residência que fica na Rua Expedicionários, no Jardim Paulista, foi furtada no último dia 13 de janeiro, em plena luz do dia. Os ladrões entraram na casa pela porta da frente e levaram uma grande quantidade de objetos, o que leva a acreditar que estavam utilizando algum veículo de porte maior como um caminhão.

Pela quantidade e o tamanho dos objetos furtados, não é possível que tenham sido carregados em carro de passeio, avalia Meg. “Tenho certeza que carro pequeno não foi, pois a TV da sala não cabia dentro de um carro”, diz.

Foram furtados da residência três TV’s (uma de 52" da LG, uma de 42" da Panasonic, e uma de 38" da Philco), aparelhos domésticos de cozinha (batedeira, air fryer, panela elétrica de arroz), perfumes, jóias (anel de formatura) colares, brincos, várias outras coisas pequenas, ventilador, documentos, cartões de crédito e uma carteira com quantidade em dinheiro. E ainda deixaram todos os cômodos da casa bagunçados e revirados.

A porta da frente da casa foi arrombada e, no momento do furto, os moradores não estavam na residência. Meg acredita que os ladrões estavam esperando o momento em que a casa estivesse sem os moradores. “Imaginamos que estavam esperando só minha mãe sair para fazer o que fizeram, entre 11 e 16 horas”, avalia.

Ela relata que um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Paraguaçu Paulista que investiga o caso. As câmeras de segurança das imediações da Rua Expedicionários estão sendo analisadas pelos investigadores.

Vakinha e rifa
O prejuízo material foi tamanho que a família de Meg teve que recorrer a ações solidárias entre os amigos, como uma rifa e a já conhecida “vaquinha online”. 

No caso desta última, a “vakinha”, trata-se de uma ação em que pessoas se unem oferecendo contribuições para alguém conseguir alcançar algum objetivo financeiro na internet. Tudo é feito online, oferecendo transparência nos dados e ferramentas para ajudar a realizar a divulgação e gestão do montante arrecadado.

Quem quiser colaborar, a ação é intitulada “Todos pela Magna”. Basta  clicar neste link e contribuir:  https://www.vakinha.com.br/r/2627222/magnoldelina-iracema-molina-silva

“Estamos tendo muito apoio, agrademos as mensagens de carinho e conforto. A gente luta tanto para ter as nossas coisas, trabalha tanto... para acontecer um negócio desse de uma hora pra outra. Por isso, agradecemos muito a todos que estão nos ajudando na vakinha e na rifa. Muito, muito obrigada”, agradece Meg Molina de Souza.



Os ladrões ainda deixaram todos os cômodos da casa bagunçados e revirados


CONSTRUIR


i7 Notícias i7 Notícias