Mãe de Paraguaçu faz vaquinha on-line para cirurgia de seu filho

Murilo, de 8 anos, tem necrose da cabeça do fêmur, faz tratamento conservador e uma cirurgia o ajudaria a ter sua vida de criança de volta.



Murilo, de 8 anos, tem necrose da cabeça do fêmur, faz tratamento conservador e uma cirurgia o ajudaria 
a ter sua vida de criança de volta

A mãe do paraguaçuense Murilo dos Reis Silva, de 8 anos, está fazendo uma vaquinha on-line para conseguir com que o filho faça uma cirurgia que corrija uma necrose avascular da cabeça do fêmur. 

O objetivo é arrecadar R$ 9 mil, de acordo com a mãe Joice Artero que mora em Paraguaçu Paulista. Ela já deu início à vakinha para o Murilo que pode ser acessada em http://vaka.me/2635229.

Aos três anos, Murilo começou a sentir dores na perna e a mancar, o que levou a família a procurar ajuda médica. Na época, com os exames realizados, a descoberta foi de que Murilo desenvolveu uma doença chamada Legg Calvé Perthes, que consiste na destruição do quadril na criança. 

É uma doença rara e é mais comum em crianças do sexo masculino entre 4 e 8 anos, caracterizada pela diminuição do fluxo de sangue na região do quadril durante o desenvolvimento da criança, principalmente no local onde os ossos se ligam com a cabeça do osso da perna, o fêmur.

Os sintomas típicos incluem dores no quadril e dificuldades para andar.

Nos últimos cinco anos, Murilo tem feito uma espécie de tratamento “conservador”, de acordo com o médico, que consiste em retirar o peso do corpo de cima dos membros, aliviando a cabeça do fêmur, por meio do uso de cadeira de rodas, andador, muletas e gesso. O gesso foi o recurso escolhido pelo médico que acompanha Murilo.

Murilo usa o gesso há vários anos, o que diminui seus movimentos e o peso nas pernas, não o deixando desenvolver as atividades tão comuns de uma criança da sua idade. Mesmo que o gesso seja retirado após meses de uso, Murilo não consegue correr, saltar, chutar, brincar como uma criança sempre faz, sem sentir dor.

Diante dessa situação de sofrimento, a família consultou o médico e ele afirmou que a solução seria abandonar o tratamento conservador e recorrer à cirurgia.  Com a intervenção e após acompanhamento fisioterápico, a vida de Murilo voltaria ao normal.

“Por isso, organizamos a vaquinha, para arrecadar o valor da cirurgia e o pagamento do hospital. São R$ 6 mil da parte da equipe médica e R$ 3 mil das despesas de hospital. Além da vaquinha, estamos organizando a rifa de um celular a R$ 10,00 cada número, para ajudar nas despesas gerais e de viagem, já que a cirurgia será realizada em Marília”, relatou a mãe Joice Artero.

Devido às precauções por conta da Covid-19, o médico que faz o tratamento de Murilo optou por marcar a cirurgia para o início de maio próximo. 

Portanto, para os interessados em ajudar, ainda dá tempo, esta é a oportunidade para o Murilo voltar a ter sua vida de criança de volta.

A vakinha para o Murilo pode ser acessada em http://vaka.me/2635229.

Para conversar com a mãe do Murilo, o contato da Joice Artero é (18) 9 9665-7082.


Mesmo que o gesso seja retirado após meses de uso, 
Murilo não consegue correr, saltar, chutar, 
brincar como uma criança sempre faz, sem sentir dor

MATAHARI


i7 Notícias i7 Notícias