Acusado de matar adolescente de 16 anos é condenado a 13 anos de prisão

Um dos acusados de matar a adolescente, em 2018, foi condenado pelo Tribunal de Júri, na madrugada desta quinta-feira (27), a 13 anos e 10 dias de prisão em regime fechado.



Segundo as investigações realizadas na época, o réu condenado era namorado de outro amigo de Fabiana 
e teria ciúmes da relação de amizade dos dois

Há cerca de quatro anos, o corpo de Fabiana Martins, de 16 anos, foi encontrado em uma estrada rural de Assis parcialmente carbonizado.

Um dos acusados de matar a adolescente, em 2018, foi condenado pelo Tribunal de Júri, na madrugada desta quinta-feira (27), a 13 anos e 10 dias de prisão em regime fechado. O outro acusado foi absolvido por faltas de provas.

Foram mais de 17 horas de julgamento, realizado no Fórum de Assis entre a manhã de quarta-feira (26) e madrugada desta quinta-feira. O processo corre em segredo de Justiça e o nome dos réus não foram divulgados.

Na ocasião, no dia 23 de julho de 2018, quando o corpo de Fabiana Martins foi encontrado em uma estrada rural de Assis, quatro pessoas chegaram a ser presas por participação no crime, mas duas foram soltas por falta de provas.

O condenado pelo crime era amigo da vítima e a motivação teria sido passional. Ele foi condenado por homicídio duplamente qualificado, sendo as qualificadoras motivo torpe e meio cruel, além de destruição do corpo. O outro réu, que foi absolvido, era um mototaxista que teria levado Fabiana até o local do crime.

O advogado de defesa, Alex Luciano Bernardino Carlos, disse que recorrer da sentença a pedido do réu, que nega a autoria do crime.

"Temos cinco dias para apresentar as razões de apelação e tentaremos demonstrar que ele não foi o autor do crime. Que ele não estava junto da vítima no dia do crime e que não tinha o porquê de ter feito esta atrocidade", afirma.

O crime
Segundo as investigações realizadas na época, o réu condenado era namorado de outro amigo de Fabiana e teria ciúmes da relação de amizade dos dois, e também teria premeditado o crime.

A jovem foi agredida e estrangulada, depois teve partes do corpo queimadas. Um frasco de querosene foi encontrado no local. A vítima foi identificada pelo padrasto por meio de uma tatuagem no braço e uma pulseira.


A vítima foi identificada pelo padrasto por meio de uma tatuagem no braço e uma pulseira


i7 Notícias i7 Notícias