Falsa ameaça de bomba fecha Fórum de Rancharia para o atendimento ao público

Segundo a Polícia Civil, o suspeito de colocar o material no local alegou que tomou a atitude como uma “forma de protesto” porque teve seu auxílio-doença indeferido anteriormente.



Segundo a Polícia Civil, o suspeito de colocar o material no local alegou que tomou a atitude como uma “forma de protesto”
porque teve seu auxílio-doença indeferido anteriormente.

A Polícia Militar recebeu, na manhã de sexta-feira (18), uma denúncia de existência de uma suposta bomba na calçada em frente ao prédio onde funciona o Fórum da Justiça Estadual, em Rancharia. 

No entanto, integrantes do Esquadrão Antibombas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), de São Paulo, estiveram no local e constataram que o objeto não continha material explosivo.

O local foi isolado e fechado para o atendimento ao público até que fosse feita com segurança a retirada do objeto.

Conforme informações da Polícia Civil, o Gate examinou o objeto através de um aparelho de raios-x e não constatou teor explosivo no material. O objeto foi recolhido e levado em uma caixa de contenção para ser destruído.

Segundo as informações da PM, um homem passou de bicicleta pelo local e deixou um pacote embrulhado no portão, por volta das 9h, no Centro da cidade. O vigia do Fórum avistou o objeto e acionou os policiais.

A polícia, então, foi até o local e fez o isolamento do objeto. Além disso, o Gate, que fica em São Paulo (SP), foi acionado e enviou uma equipe a Rancharia para analisar o material.

O Fórum foi fechado para o atendimento ao público e os funcionários permaneceram dentro da repartição no aguardo do desfecho da ocorrência.

Além de policiais militares, equipes da Guarda Municipal e da Polícia Civil também compareceram ao local para a atuação no caso.

O suspeito, que já é conhecido nos meios policiais, foi identificado e levado à Delegacia da Polícia Civil para prestar depoimento. Ele foi identificado com a ajuda das imagens das câmeras de segurança das imediações do Fórum.

O homem, de 38 anos, foi liberado, pois o material que ele jogou no Fórum não oferecia nenhum perigo para as pessoas e não era um explosivo. O conteúdo era formado por massa plástica acondicionada em uma lata.

Em depoimento, o homem disse que fez isso como uma "forma de protesto", porque ele alegou que sofre de um problema de hérnia de disco e teve o seu pedido de auxílio-doença indeferido anteriormente pelo Poder Judiciário.

FLORATA GELATERIA


i7 Notícias i7 Notícias