Com oito casos positivos e mais de 100 notificações, Paraguaçu pode viver epidemia de dengue

Para evitar que casos aumentem na cidade, a população precisa colaborar e limpar os quintais, eliminando criadouros do Aedes.



Para evitar que casos aumentem na cidade, a população precisa colaborar e limpar os quintais, eliminando criadouros do Aedes

Paraguaçu Paulista tem oito casos positivos de dengue em 2024 e 109 notificações da doença. Para que a situação não se agrave, fazendo com que o município evolua para uma epidemia nas próximas semanas, é necessário que a população colabore, fazendo a simples tarefa de limpar os quintais, eliminando objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito Aedes aegipty.

Quem faz o alerta é a médica veterinária da Vigilância Sanitária, Iraciana Messias de Paiva. Ela ressalta que o período de altas temperaturas, chuvas e a chegada de pessoas na cidade, devido às viagens do feriado prolongado de Carnaval, favorecem a proliferação do mosquito e consequentemente, ocasionam aumento na transmissão.

Tarefas simples do dia a dia, como eliminar dos quintais materiais como tampinha de garrafa ou pote de plástico, já fazem a diferença na prevenção e combate a dengue na cidade. Verificar e limpar a vasilha de água do animal de estimação, recolher um brinquedo esquecido no quintal e substituir a água do vasinho de planta por areia também são soluções práticas no combate a dengue.

Para ajudar o morador a identificar e eliminar esses e outros possíveis criadouros, o município conta com os agentes de endemias e de saúde, equipes experientes e preparadas para passar essas e outras orientações. Mas, para que o trabalho dê o resultado esperado, é necessário a colaboração da comunidade, que deve receber esses profissionais em suas residências, acompanhá-los durante a visita e seguir corretamente as orientações.

Desde outubro de 2023, as equipes têm intensificado o trabalho em todos os bairros com ocorrências de casos, realizando um trabalho de identificação, eliminação de criadouros e orientações aos munícipes.

“Não espere a visita do nosso agente, temos que tomar uma atitude hoje, o agente visita nossa residência para nos orientar, mas a responsabilidade diária pelo nosso imóvel é nossa, temos que fazer a nossa parte”, destacou Iraciana.



i7 Notícias
-->