Câncer de boca: cirurgiã-dentista fala sobre a prevenção e o diagnóstico precoce da doença

Cirurgiã-dentista Victoria Carolina Postigo destaca como hábitos saudáveis e visitas regulares ao dentista podem salvar vidas.


Maio é o mês de conscientização do câncer de boca. O mês já está acabando, mas os cuidados e a atenção dada à boca deve ser constante. A cirurgiã-dentista Victoria Carolina Postigo, de Paraguaçu Paulista, destaca aspectos essenciais sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de boca, enfatizando a relevância do diagnóstico precoce e hábitos saudáveis.


Cirurgiã-dentista Victoria Carolina Postigo destaca como hábitos saudáveis e visitas regulares ao dentista podem salvar vidas

Fatores de risco para o câncer de boca

Os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento do câncer de boca são o tabagismo e o consumo de álcool. Além disso, o câncer de lábio está frequentemente relacionado à exposição excessiva ao sol sem a devida proteção. “O cigarro e o álcool são os vilões mais comuns, enquanto o câncer de lábio se desenvolve comumente em pessoas que se expõem ao sol sem proteção”, explica Victoria.

A importância do diagnóstico precoce

Identificar o câncer de boca em seus estágios iniciais é crucial para oferecer um tratamento menos invasivo e mais eficaz. Victoria ressalta que o câncer de boca frequentemente começa como uma mancha branca ou avermelhada, ou uma úlcera que não dói e demora para cicatrizar. “O diagnóstico precoce permite tratar a lesão antes que o câncer se infiltre profundamente nos tecidos”, afirma a dentista.

Prevenção através de hábitos saudáveis e visitas ao dentista

Manter uma boa higiene bucal e realizar visitas regulares ao dentista são práticas que podem contribuir significativamente para a prevenção do câncer de boca. “Reduzir ou parar de fumar e diminuir o consumo de álcool são medidas preventivas importantes. As consultas regulares ajudam na detecção precoce de lesões potencialmente malignas, evitando que se desenvolvam em câncer invasivo”, orienta Victoria. Ela também recomenda o autoexame bucal, onde o paciente deve verificar os lábios, bochechas, língua, céu da boca e garganta para identificar qualquer anomalia.

Tratamentos disponíveis e sua evolução

O tratamento do câncer de boca varia conforme o estágio da doença e pode incluir remoção cirúrgica, radioterapia e quimioterapia. “A escolha do tratamento depende da região afetada, do tamanho da lesão e se houve metástase”, esclarece Victoria, destacando que os avanços nos tratamentos têm melhorado significativamente os resultados para os pacientes.

Outros problemas bucais e a importância do conhecimento do dentista

Além do câncer de boca, outros problemas sérios podem se manifestar na cavidade bucal, como a leucemia, que pode causar inchaço e sangramento na gengiva. “O conhecimento do cirurgião-dentista é fundamental para detectar e orientar o paciente a procurar ajuda médica”, comenta Victoria. Ela compartilha um caso recente em que um paciente, inicialmente buscando tratamento para gengiva inchada, foi diagnosticado com linfoma.

Mensagem final

Victoria deixa um recado importante: “Gengiva saudável não sangra. Desconfie de qualquer crescimento anormal na boca, manchas ou úlceras que não doem e demoram para sarar. Procure a ajuda de um profissional para detectar qualquer alteração de forma correta e precoce.”

A prevenção e o diagnóstico precoce são fundamentais para combater o câncer de boca e outras doenças bucais, reforçando a importância de hábitos saudáveis e acompanhamento profissional regular.



i7 Notícias
-->